domingo, 3 de junho de 2007

A história do Escotismo | a vida de Baden-Powell

Robert Stephenson Smith Baden-Powell nasceu em Londres a 22 de Fevereiro de 1857. Filho de um professor em Oxford de uma filha de um almirante, B.P. teve seis irmãos com quem levou uma infância de vida ao ar livre. O seu pai faleceu quando B.P. tinha apenas três anos de idade, pelo que a família lutou com algumas dificuldades, mas o amor entre todos ajudou a superar.Aos 13 anos entrou para a escola da Cartuxa com uma bolsa de estudos. Apesar de não ter sido um aluno brilhante, distinguiu-se de outras formas. Era muito participativo e animado no recreio, as suas habilidades dramáticas e humorísticas eram apreciadas em toda a escola. Além disso, foi um habilidoso guarda-redes da equipa de futebol da escola. O seu jeito para a música e desenho também se manifestou, e hoje, muitas das ilustrações que existem sobre o escutismo foram feitas pelo próprio B.P.Aos 19 anos terminou os seus estudos e imediatamente ingressou no exército. Foi para Índia como alferes para a Guerra da Crimeia. A sua bravura e desempenho militar valeram-lhe atingir o posto de capitão aos 26 anos.Aos 30 anos B.P. ruma a África para tomar parte na guerra contra os Zulus, e mais tarde contra os Achantis e Matabeles. A sua habilidade e perícia eram conhecidas entre os indígenas, o que lhe valeu o nome de "Impisa", "o Lobo que não dorme".Os seus sucessos militares valeram-lhe inúmeras e sucessivas promoções, até que em 1899, já no posto de coronel, B.P. conheceu a sua mais importante vitória militar: a defesa de Mafeking. A cidade africana foi cercada pelos Boers durante 217 até que finalmente os reforços chegarem. Durante esse tempo, B.P. observou como os rapazes desempenhavam habilmente pequenas Tarefas, enquanto os adultos combatiam.Este êxito militar valeu-lhe a elevação ao posto de Major-General.Em 1901, então com 44 anos, regressa a Inglaterra para ser recebido como herói. Além disso, descobre espantado que o seu livro "Aids to Scouting", que tinha escrito para o exército, estava a ter grande sucesso nas escolas masculinas. B.P. viu nisto uma excelente oportunidade para ajudar os rapazes do seu país a desenvolverem-se e então decidiu escrever um outro livro sobre exploração, mas desta vez destinado aos próprios rapazes.
Com toda a sua experiência e com base em livros que foi lendo, foi a pouco e pouco desenvolvendo a ideia do escutismo, e para a experimentar resolveu no verão de 1907 levar um grupo de 20 rapazes para a Ilha de Brownsea. Este foi o primeiro acampamento escutista de sempre, e como não podia deixar de ser, foi um sucesso. Com o entusiamo gerado, nos primeiros meses do ano seguinte, B.P. publicou em seis fascículos quinzenais o seu manual "Scouting for Boys", sem nunca imaginar que pouco tempo depois começariam a surgir as primeiras patrulhas de escoteiros em Inglaterra e muitos outros países.
Com toda a sua experiência e com base em livros que foi lendo, foi a pouco e pouco desenvolvendo a ideia do escutismo, e para a experimentar resolveu no verão de 1907 levar um grupo de 20 rapazes para a Ilha de Brownsea. Este foi o primeiro acampamento escutista de sempre, e como não podia deixar de ser, foi um sucesso. Com o entusiamo gerado, nos primeiros meses do ano seguinte, B.P. publicou em seis fascículos quinzenais o seu manual "Scouting for Boys", sem nunca imaginar que pouco tempo depois começariam a surgir as primeiras patrulhas de escoteiros em Inglaterra e muitos outros países.B.P. depressa compreendeu que poderia fazer mais pelo seu país educando os jovens através do escutismo do que ensinando soldados. Por isso, e também por o escutismo ter já atingido uma grande dimensão, decide abandonar o exército e dedicar-se à obra da sua vida. Estávamos em 1910, e o então Tenente-General B.P. resolve embarcar na sua segunda vida - o serviço através do escutismo.Em 1912 começa uma viagem para visitar escuteiros de outros países. Foi o início da fraternidade mundial dos escuteiros, que seria travada durante algum tempo devido à primeira grande guerra. Ainda nesse ano, B.P. casa com Olave Soames, aquela que viria a ser a Chefe Mundial das Guias, e com quem teve três filhos.Em 1920 realiza-se em Londres o primeiro Jamboree Mundial, com escuteiros vindos de todas as partes do mundo. Nesse encontro, B.P., então com 63 anos, foi aclamado por todos os seus escuteiros como Escoteiro Chefe Mundial. Depois deste seguiram-se outros Jamborees: em 1924 na Dinamarca, em 1929 em Inglaterra, em 1933 na Hungria, em 1937 na Holanda.No Jamboree de 1929, realizado para celebrar os 21 anos da publicação do "Escutismo para rapazes", B.P. recebe do Príncipe de Gales o título de Lord Baden-Powell of Gilwell. Durante a sua vida B.P. escreveu e ilustrou mais de 32 livros, recebeu graus honorários de diversas universidades, diversas condecorações de cidades e de Ordens estrangeiras, além de inúmeras condecorações escutistas.Aos 80 anos B.P. regressa a África, terra do seu coração, na companhia da sua esposa. Fixa-se no Quénia, onde, apesar da sua saúde, escreve ainda alguns textos.
No dia 8 de Janeiro de 1941, B.P. falece com 83 anos.A sua vida dedicou-a aos jovens, através do escutismo, e por isso lhe estaremos eternamente gratos. Obrigado...
Hoje passado 100 anos do começo do escutismo,tenho que agradecer a coragem de meia dúzia de mulheres,mais uma dúzia de catraios que a 3 anos atrás deram mãos a obra e poseram em pé um sonho de fazer que Barcarena também tivesse um agrupamento,esse que tem o nome de 1278 Barcarena que já tem perto de uma centena de jovens desde os Lobitos até com chefes formados a pouco menos de um mês,com uma pequena (sede) que será falada numa próxima postagem

2 comentários:

MRelvas disse...

O escutismo é uma prática muito saudável!

Incentivem-na...

Abraço companheiro

Mário

Anónimo disse...

escotismo e vida
villy